ÁGUA, SANEAMENTO E HORTAS PEDAGÓGICAS FORAM AS TEMÁTICAS DO SEGUNDO ENCONTRO DE FORMAÇÃO DO PROJETO ACorDar

O segundo encontro de formação do ACorDar para educadores das redes municipal, estadual e particular de todo o País aconteceu na última terça-feira (03/05) durante a 2ª Jornada de Educação Ambiental de São Carlos que acontece junto com a 1ª Jornada de Educação Intermunicipal de Educação Ambiental. Foram abordadas três temáticas: água e saneamento, energia e hortas pedagógicas.

 

A formação foi realizada pelos profissionais: Mayara Sakamoto Lopes, engenheira ambiental da Prefeitura de São Carlos, que tratou das questões de água e saneamento Básico, Beatriz Cestaro Pichinelli, também engenheira ambiental da Prefeitura de São Carlos, que tratou sobre as questões de energia, e Margarida Gorga, da Embrapa Hortaliças, que falou sobre gestão de hortas pedagógicas.

 

De acordo com a bióloga Isabela Pelatti, que coordenou o encontro virtual, um dos assuntos mais discutidos foi o impacto da falta de saneamento básico na vida de crianças e adolescentes no país, e como as hortas pedagógicas podem ser um importante instrumento entre as interdisciplinaridades.

 

Para a secretária municipal de Educação, a condução do Projeto ACorDar que é feito pela SME é muito significativo para sua rede municipal de ensino, pois fortalece a Educação Ambiental para as próximas gerações. “As crianças e os adolescentes de hoje são os que serão os transformadores do futuro, buscando sempre o desenvolvimento sustentável”, afirma a professora Wanda Hoffmann.

 

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) consolidados em 2019 e apresentados pelo Painel Saneamento (www.tratabrasil.gov.br) demonstram como a área da educação é impactada pela falta de saneamento, como o tempo que um estudante deixa de frequentar a escola devido às ausências por doenças de veiculação hídrica.

 

De acordo com o site, crianças e adolescentes que moravam em residências com saneamento básico frequentaram as escolas por 9,2 anos. Em contrapartida, quando o estudante vivia em uma região sem acesso aos serviços de saneamento, o tempo de frequência na escola diminuía para 5,34 devido às faltas constantes por doenças de veiculação hídrica, o que interfere diretamente no desenvolvimento do futuro da criança e do jovem no período escolar.

 

A analista da área de Transferência de Tecnologia e coordenadora do projeto Gestão de Hortas Pedagógicas da Embrapa Hortaliças, Margarida Gorga, conta que, a partir da capacitação oferecida sobre o tema, a Secretaria Municipal de Educação de São Carlos concebeu o projeto ACorDar, que prevê a formação profissional no que concerne aos principais desafios referentes à preservação do meio ambiente e dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

 

Hortas pedagógicas – Lançado no formato presencial em 2019, foi implantado o projeto-piloto Hortas Pedagógicas em quatro escolas públicas do Maranhão e do Piauí, fruto de parceria entre Embrapa Hortaliças, Ministério da Cidadania e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). A escolha desses estados da federação deveu-se à estratégia a ser implementada em áreas de vulnerabilidade social.

 

Em 2020, como desdobramento da parceria com o Ministério da Cidadania, a experiência foi estendida para todo o Brasil por meio do formato EaD (Educação à Distância) com o curso “Gestão de Hortas Pedagógicas” no portal e-campo, vitrine de capacitações da Embrapa, constituída por cursos envolvendo diversos temas relacionados a tecnologias agrícolas desenvolvidas pela empresa de pesquisa.

 

Em São Carlos, o Projeto ACorDar está promovendo, ao todo, 13 encontros virtuais entre abril e outubro de 2022 em plataforma Google com parceiros que tratam da temática do meio ambiente e dos ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável). São autoridades de instituições que representam ações que abordam os 17 objetivos previstos para serem concretizados até 2030.

 

O Ministério da Cidadania participou do 1º Encontro de Capacitação de Educadores do Projeto ACorDar no dia 19 de abril. “A participação do Ministério da Cidadania é fundamental e foi convidado a iniciar estas jornadas formativas por entendermos que esta pasta convive diariamente com todas as questões dos ODSs; seja pelo tema da alimentação saudável, da agroecologia para cidades sustentáveis, seja pela abordagem do papel das escolas na construção de alternativas de respostas aos ODS”, afirmou Isabela Pelatti, bióloga da Secretaria Municipal de Educação.

 

A coordenação-Geral de Agricultura Urbana do Ministério proferiu a palestra, abordando a política nacional de agricultura urbana e periurbana e o Projeto Hortas Pedagógicas como instrumento que alia temas e ações como a promoção da segurança alimentar e nutricional; a formação de novas consciências e práticas na produção e consumo de alimentos nas cidades; a educação ambiental e o papel das escolas na promoção de desenvolvimento sustentável, nos territórios nos quais se inserem.

 

Para Luís Romaguera, diretor do Departamento de Estruturação de Equipamentos Públicos do Ministério da Cidadania, a participação em eventos como este coloca o Ministério em contato com atores municipais estratégicos, como oportunidade de sensibilizar gestores locais para a ampliação das hortas pedagógicas em escolas públicas de todo o país.

 

O terceiro encontro do Projeto ACorDar está previsto para o dia 17 de maio com discussões envolvendo a saúde pública e igualdade de gênero. O Projeto ACorDar é uma realização da Secretaria Municipal de Educação de São Carlos em conjunto com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Inovação (SMMACTI/São Carlos), em parceria com Embrapa Hortaliças, Ministério da Cidadania, Câmara Brasileira do Livro (CBL), Kristin Roskifte, Econexão, UFSCar, CDCC USP, Esalq – USP – Projeto OCA, CEFEP Centro de Formação – São Carlos, Escolas pelo Clima Educação e Ação Climática, Aflorar Espaços Educadores, Reconectta e Instituição Cocriança.

 

O Projeto ACorDar tem suas raízes na Educação Ambiental, considerando todos seres humanos como integrantes e agentes deste e neste ambiente. Acordar, verbo oportuno para essa nova etapa de retomada das aulas presenciais em sua integralidade. A Cor Dar é também um anagrama que nos mostra a busca incessante para trazer cor e vida para os cidadãos e para futuros cidadãos: que são os estudantes.

 

O Projeto ACorDar prevê a formação profissional que contemple os principais desafios enfrentados hoje para a preservação do nosso ambiente e da Vida, pautando se nos objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS).

 

Após o encerramento das jornadas que ocorrem de forma simultânea será realizada uma amostra presencial com as atividades desenvolvidas pelos educadores e participantes durante os encontros.

 

Agenda 2030 – Em 25 de setembro de 2015, a Assembleia Geral da ONU adotou a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Esse novo marco global para redirecionar a humanidade para um caminho sustentável foi desenvolvido na durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), no Rio de Janeiro, Brasil, em junho de 2012. No centro da Agenda 2030 estão os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os ODS universais, transformadores e inclusivos descrevem os principais desafios de desenvolvimento para a humanidade. O propósito dos 17 ODS é garantir uma vida sustentável, pacífica, próspera e equitativa na Terra para todos, agora e no futuro.